Witzel terá que prestar depoimento à PF

Wilson Witzel
Defesa do Governador afirma ainda não ter sido notificada

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, deverá prestar depoimento a Polícia Federal até sábado dia 30. A respeito da Operação Placebo que apura as supostas fraudes nos contratos relacionados a saúde do Rio. O Ministro Benedito Gonçalves, que liberou a operação contra Witzel, determinou que o suposto vazamento da ação seja apurado.

De acordo com a Defesa do Governador Witzel, a notificação da convocação para depor ainda não chegou. Witzel afirma ser vítima de perseguição política e declarou que vai tomar medidas cabíveis junto ao Senado Federal e ao Conselho Nacional do Ministério Público. A esposa do governador, Helena Witzel, também deve ser convocada a depor. 

Após ser alvo de operação da PF, o partido Republicanos suspendeu o apoio ao governador do Rio. E, após a decisão, o secretário de trabalho e renda, Jorge Gonçalves, filiado ao partido, deve pedir exoneração do cargo. Além disso, a Justiça do Rio suspendeu a nomeação de Edmar Santos, também alvo da investigação da PF, para cargo de secretário-extraordinário. E condenou o Estado e o governador Witzel a pagarem multa de R$ 100 mil por danos morais coletivos.

Wilson Witzel também foi alvo de pedidos de processo de impeachment. Até o momento já são cinco solicitações de impedimento na mesa diretória da Alerj. Dos cinco pedidos, três já estão descartados porque são antigos e não tem embasamento. Entretanto, dois pedidos protocolados após as ações da PF, devem ser pautados nesta quinta-feira dia 28.

Foto: Reprodução EBC

Author’s Posts